A ministra das Finanças, o governador do Banco de Portugal e o presidente da CMVM vão ser chamados ao Parlamento para serem ouvidos sobre os casos que envolvem o Grupo Espírito Santo (GES) e sobre a nova administração do BES.

Moody's corta rating da ESFG para oito níveis abaixo do «lixo»

Segundo disse à Lusa o líder parlamentar do Bloco de Esquerda, Pedro Filipe Soares, foram aprovadas por consenso, na comissão parlamentar de Orçamento e Finanças, as propostas do partido para a audição da ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, sobre as nomeações para a administração do BES e do presidente da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), Carlos Tavares, sobre a situação do GES.

Também foi aprovado o requerimento do PCP para a audição do governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, sobre o que se passa no BES.

As audições deverão acontecer na próxima semana.

Nas últimas semanas, foram tornados públicos vários problemas no Grupo Espírito Santo (GES), a que se juntam alterações na gestão do BES, com a saída do líder histórico do banco, Ricardo Salgado.

Depois de inicialmente ter sido apontado o atual administrador financeiro Morais Pires para presidente executivo do banco, no sábado, o ESFG anunciou que vai propor o economista Vítor Bento (atual presidente da gestora do Multibanco, SIBS) para presidente executivo e João Moreira Rato (atual presidente do IGCP, entidade responsável pela emissão e gestão da dívida pública) para administrador financeiro. Já o deputado social-democrata e ex-juiz do Tribunal Constitucional, Paulo Mota Pinto, será presidente do Conselho de Administração ('chairman').

Estas nomeações levaram a críticas dos partidos da oposição, que referem uma partidarização do BES.