António Horta Osório foi eleito o melhor banqueiro do mundo no prémio da revista financeira britânica «Euromoney» relativo ao ano de 2013.

O presidente executivo do Lloyds Banking Group foi distinguido «pelos seus esforços para fazer regressar o banco ao plano lucrativo nos últimos dois anos», como é referido no site da «Euromoney».

Horta Osório declarou-se «honrado por receber este prémio prestigiante». «É o testemunho do trabalho árduo realizado para apoia a nossa estratégia de transformar o grupo num banco simples focado em clientes do Reino Unido e de baixo risco dando benefícios concretos aos clientes, aos parceiros e ao acionistas», disse o banqueiro português.

O presidente do grupo Lloyds disse que este prémio é o reconhecimento do que o António e a sua equipa conseguiram restabelecendo o Lloyds». Win Bischoff reconheceu que os prazos estabelecidos inicialmente para a transformação do negócio previam entre três a cinco anos, «mas dois anos depois do António a lançar», o banco «está adiantado em relação às estimativas e fazendo progressos significativos», concretizando que «está de volta aos lucros».

O Wells Fargo foi eleito pela «Euromoney» como o melhor banco a nível global e o Goldman Sachs o melhor banco de investimento.