A próxima cimeira de chefes de Estado e de Governo de países do sul da União Europeia vai ser em Portugal. Sucede ao primeiro encontro do género, que ocorreu neste 9 de setembro, na Grécia, e o anúncio foi feito pelo primeiro-ministro grego.

"Esta iniciativa de diálogo e coesão" dos vários países do sul da Europa vai ter continuidade num encontro a decorrer em Portugal.

Este encontro, a que tenho o prazer de dar continuidade brevemente em Lisboa, visa contribuir para a unidade da Europa", afirmou Alexis Tsipras, citado pela Lusa, não tendo avançado com uma data para o encontro.

A reunião de hoje, promovida por Atenas, contou para além do primeiro-ministro helénico e do seu homólogo português, com os chefes dos executivos de Chipre, França, Itália e Malta, e com um representante do executivo espanhol.

O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, foi também convidado para a cimeira mas não marcou presença porque o executivo espanhol está em gestão e a agenda internacional do chefe do Governo limita-se a cimeiras imprescindíveis. Rajoy estará presente, contudo, na reunião europeia informal de 16 de setembro em Bratislava, encontro no qual o Reino Unido não irá participar e em que será debatido o futuro da União após o Brexit.

A propósito da cimeira de hoje, o primeiro-ministro, António Costa, disse existir um entendimento dos líderes dos países do sul da Europa quanto a um ponto: "É necessário reforçar o investimento".

"As condições para reforçar o investimento têm de se adaptar às condições específicas de cada um dos países, até porque alguns têm largos excedentes e tinham aliás o dever de investir mais", tendo outros limitações nesse sentido.

Sobre este encontro de líderes de países do sul do espaço europeu, Costa frisou: "Não temos de ter vergonha de ser do sul. Temos de saber assumir na UE uma posição que defenda também a perspetiva de todos estes países. É a melhor forma que temos para que a Europa no seu conjunto esteja melhor posicionada no mundo".