Uma empresa de móveis licitou esta segunda-feira por 2,65 milhões de euros o edifício e parque do Centro Operacional do Norte da Infraestruturas de Portugal, em Vila Real, cujos serviços e funcionários poderão ser transferidos para a estação ferroviária desativada.

O leilão público decorreu hoje em Vila Real. De acordo com a Lusa, à venda estava o parque de máquinas, por uma base de licitação de 800 mil euros, e o edifício sede do Centro Operacional do Norte da ex-Estradas de Portugal, inaugurado em 2009 e cuja base de licitação foi de 1,5 milhões de euros.

Depois de 13 lances feitos por duas empresas privadas, os espaços foram adjudicados temporariamente à JOM limitada, com sede em Guimarães, que fez a maior licitação por 2,65 milhões de euros.

António Oliveira, diretor financeiro da empresa, disse aos jornalistas que o objetivo é instalar a primeira loja, em Trás-os-Montes, da JOM, que se dedica ao comércio de móveis e eletrodomésticos.

O responsável explicou que, na zona do parque, será criado um espaço comercial, que dará emprego a cerca de 15 a 20 pessoas, e no edifício a ideia é criar uma unidade de alojamento, que poderá ser uma residencial.

Fonte da Infraestruturas de Portugal disse à agência Lusa que esta “venda enquadra-se no adequado aproveitamento dos edifícios existentes em consequência da fusão das empresas Estradas de Portugal e Refer.

“A Infraestruturas de Portugal manterá em Vila Real o seu Centro Operacional Norte, aproveitando para o efeito, algumas das instalações devolutas existentes”, salientou a fonte.

Em cima da mesa poderá estar o reaproveitamento do edifício da estação de caminhos-de-ferro de Vila Real.

No entanto, a fonte da empresa não respondeu às perguntas para quando está prevista a transferência de serviços ou qual o valor do investimento que será necessário fazer na estação para acolher os serviços da Infraestruturas de Portugal.

A linha de caminho-de-ferro do Corgo foi encerrada no dia 26 de março de 2009.