A agência de notação financeira Moody's saudou a aprovação da moção de confiança ao Governo italiano na quarta-feira, mas sublinhou que o Executivo de Enrico Letta continua «frágil» e que o objetivo do défice para 2013 não será cumprido.

«Apesar da sobrevivência do atual Governo italiano ser a melhor solução do ponto de vista do crédito, as turbulências políticas da semana passada demonstram a fragilidade do Governo, que podem atrasar as reformas orçamentais e estruturais. Tais atrasos fazem com que a recuperação económica do país corra riscos», refere a análise da Moody's, citada pela Lusa.

«Prevemos que Itália não cumpra o objetivo europeu do défice de 3% em 2013», sublinha a agência, apesar de o Executivo italiano ter garantido que cumpriria.

O Governo de Enrico Letta venceu na quarta-feira com margem folgada uma moção de confiança no Parlamento. Depois de ter pedido a queda do Governo, o antigo primeiro-ministro italiano Sílvio Berlusconi mudou de ideias no último momento e decidiu apoiá-lo.