O Sindicato dos Trabalhadores da Atividade Financeira (SINTAF) criticou, esta terça-feira, o Banco de Portugal (BdP) e a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) na questão que envolve o papel comercial dos lesados do Grupo Espírito Santo (GES).

O BdP e a CMVM são criticados pelo sindicato «por não terem atuado rapidamente quando já dispunham de informação suficiente», é revelado em nota de imprensa, citada pela Lusa.

O SINTAF chama ainda a atenção para a venda de «importantes ativos do GES» por «centenas de milhões de euros», operações tidas ao mesmo tempo que o Governo não avança com «medidas necessárias no sentido de impedir que o património seja vendido ao desbarato».

De todo o modo, a organização diz que é «inaceitável» que os clientes lesados em papel comercial do GES «canalizem» a frustração «para aqueles que não tendo nenhuma responsabilidade na gestão do banco e das empresas do grupo, que são igualmente vítimas de uma situação ainda longe de um desfecho definitivo».