O Governo disse esta quinta-feira que não prevê «assegurar poupanças orçamentais» com a nova Tabela Única de Suplementos (TUS) remuneratórios na função pública, admitindo que haverá um resultado «tendencialmente neutro» do lado da poupança com esta medida.

Funcionários Públicos recebem subsídio sem cortes



«Com esta iniciativa o Governo não está a procurar assegurar poupanças orçamentais. Este exercício é desenvolvido para a racionalização destes suplementos e para trazer equidade e clareza na atribuição de suplementos remuneratório», disse hoje o secretário de Estado da Administração Pública, Leite Martins, na conferência de imprensa a seguir ao Conselho de Ministros.

O Governo aprovou hoje na generalidade as condições que podem fundamentar a atribuição de suplementos remuneratórios na função pública, bem como a forma do respetivo valor, através de uma Tabela Única de Suplementos (TUS) para dar início a uma negociação com os sindicatos.