Portugal vai regressar aos mercados na próxima quarta-feira com dois leilões de Obrigações do Tesouro. O objetivo é arrecadar 1.250 milhões de euros de financiamento, no dia em que Marcelo Rebelo de Sousa toma posse como Presidente da República.

A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública adianta, numa nota divulgada à comunicação social, que as Obrigações do Tesouro que serão emitidas têm maturidade de cinco e dez anos, a 15 de abril de 2021 e 21 de julho de 2026.

 O montante indicativo global está "entre 1.000 milhões de euros e 1.250 milhões de euros".

Portugal pagou mais dois mil milhões do empréstimo ao FMI em fevereiro e, na mesma semana em que isso foi revelado pelo IGCP, o Estado recomprou mil milhões de euros de obrigações de três séries de Obrigações com maturidades até Junho de 2019, mostrando que tem uma posição de liquidez confortável e visando começar a suavizar as amortizações dos próximos anos.

O leilão de dívida decorre pelas 10:30.