Foi detetado um esquema de lavagem de dinheiro com recurso a desempregados inscritos no portal NetEmprego do Instituto do Emprego e Formação Profissional, revela o Jornal de Notícias. A Polícia Judiciária está a investigar o caso.

Alguns dos inscritos no site receberam mensagens escritas com o remetente NetEmprego e uma alegada oferta de emprego, à qual deveriam responder via email para uma suposta empresa de logística sediada em Alfena.

O objetivo da máfia de Leste seria arranjar cúmplices (“mulas”) de cibercrimes que permitem lavar dinheiro proveniente, por exemplo, do acesso indevido a contas bancárias.

Quem deu o alerta foi a empresa privada Net-Empregos, porque foi contactada por desempregados que tinham recebido essas mensagens, por uma associação de nomes.

Foi a empresa que denunciou o caso à PJ e que revelou que esses grupos já tinham tentado registar-se no site privado de ofertas de emprego.