A diretora-geral do Fundo Monetário Internacional, Christine Lagarde, exortou esta quinta-feira a a Alemanha a estimular o crescimento sendo mais generosa na sua despesa pública e abrindo o mercado de serviços.

"A política monetária não pode fazer mais (...). As políticas orçamentais e estruturais devem ser intensificadas para estimular a procura global e o potencial de crescimento"

Lagarde apontou como exemplo a Alemanha, maior economia europeia, para a qual o FMI prevê um crescimento de 1,5% em 2016.

Esta semana aconteceu algo inédito no mercado da dívida, o que nota a força de investimento da Alemanha para os investidores: estão a pagar pela primeira vez à Alemanha na dívida a dez anos.