Foi uma sessão mista a das bolsas europeias, esta terça-feira. Londres e Frankfurt terminaram em alta ligeira, mas as restantes praças em baixa, à semelhança de Lisboa. Os investidores estão à espera das decisões dos bancos centrais dos EUA e do Japão, sendo que ambas terão lugar na quarta-feira. No mercado da dívida, os juros soberanos continuam a aliviar.

As quedas dos pesos-pesados Galp Energia, CTT e BCP empurraram o PSI20 para o vermelho, tendo deslizado 0,28%. A energética caiu 0,88%, em contraciclo com a subida de 0,24% do Brent para cima de 46 dólares por barril; os Correios desceram 0,98% e o BCP 1,27%. 

Já o BPI deslizou 0,37% na véspera da Assembleia Geral de Acionistas. Esta será a terceira vez que os acionistas do banco vão tentar votar a desblindagem dos estatutos, condição essencial para a OPA do Caixabank tenha sucesso, depois das duas reuniões anteriores terem sido adiadas.

Pressão adicional, em Lisboa, por parte da Mota-Engil, que caiu 1,45% e da EDP Renováveis (-0,45%). 

A subir fecharam a NOS (+0,22%),  a EDP (0,24%) - apesar da auditoria que recomenda a devolução de 46 milhões de euros aos consumidores -, a Jerónimo Martins (+0,3%) e a Navigator Company (+1,22%). 

No mercado de dívida, as Obrigações do Tesouro portuguesas a 10 anos aliviaram 5 pontos base para 3,338%, estendendo a queda de ontem após a indicação do Banco de Portugal que as compras de obrigações pelo BCE estão longe de alcançar os limites.