Portugal pagou à troika em 2014 mais de 2.000 milhões de euros em juros e comissões relativos ao empréstimo no âmbito do resgate internacional, um aumento de cerca de 240 milhões face a 2013, segundo números oficiais divulgados esta sexta-feira.

Segundo a síntese da execução orçamental publicada pela Direção-Geral do Orçamento (DGO), Portugal pagou aos credores internacionais 2.009,5 milhões de euros em juros e mais 18,6 milhões de euros em comissões.

Em 2013, o Estado pagou um total de 1.759,3 milhões de euros em juros e comissões relativos ao Programa de Assistência Económica e Financeira (PAEF), sendo que desse total apenas 55,6 milhões dizem respeito a comissões com o empréstimo.

No conjunto do ano passado, contabilizando todos os instrumentos de dívida direta do Estado, Portugal gastou 7.098,4 milhões de euros com encargos com a dívida, um aumento de 1,3% face ao período homólogo, quando estes encargos se situaram nos 7.010,4 milhões de euros.