Apesar das maturidades serem reduzidas, as emissões de Bilhetes do Tesouro, que a agência que gere a dívida pública portuguesa lançou esta manhã, foram um sucesso na opinião dos analistas.

Na colocação de Bilhetes do Tesouro (BT) a três meses, Portugal colocou 300 milhões de euros, com a procura a superar 4,55 vezes a oferta e a taxa a ser negativa em 0,389%.

Já na maturidade maior, a 11 meses, foram colocados 950 milhões, a uma taxa negativa em 0,325%. A procura superou a oferta em 1,75 vezes.

“Hoje, a dívida da República Portuguesa fez mais um record: a taxa de emissão na dívida a 3 meses foi a mais baixa de sempre, para esta maturidade. Já sabíamos que íamos ter taxas mais baixas do que as emissões comparáveis realizadas em julho, porque as taxas no mercado desceram desde essa altura. A procura foi muito elevada”, disse à TVI24 Filipe Silva, diretor da gestão de ativos do Banco Carregosa.

“A dívida a 11 meses também seguiu a tendência, beneficiando dos últimos acontecimentos da economia portuguesa e da melhoria do ciclo económico, incluindo a melhoria no rating. Portugal continua a conseguir emitir dívida, ou seja, a financiar-se, a taxas negativas”, concluiu.