O presidente do conselho de administração executivo da Caixa Económica Montepio Geral destacou esta quarta-feira a importância de honrar os compromissos internacionais para assegurar um quadro de investimento, preocupando-se com eventuais impactos sociais de um clima de instabilidade e retrocesso.

À saída de uma audiência em Belém com o Presidente da República, José Félix Morgado disse aos jornalistas que "o interesse nacional implica, de facto, o honrar dos compromissos” que o país assumiu em termos internacionais, “designadamente do tratado orçamental", considerando que só com a consolidação das finanças públicas, a redução do défice e a redução da dívida pública é que se "conseguirá assegurar um quadro de investimento e de confiança dos investidores que é necessário para a criação de emprego e para de facto se continuarem as reformas estruturais".

"Esse é um tema que nos preocupa. Nós somos o banco da economia social e portanto preocupam-nos os impactos sociais que um clima de instabilidade e um clima de retrocesso pode ter", disse, numa declaração sem direito a perguntas.

Estão a decorrer hoje em Belém, durante todo o dia, sete audiências separadas sobre a situação política criada após a demissão do XX Governo Constitucional com os presidentes dos principais bancos a operar em Portugal - Millenium BCP, Novo Banco, BPI, Santander Totta, Caixa Geral de Depósitos, Caixa Económica Montepio Geral - e com o presidente da Associação Portuguesa de Bancos.

Na quinta-feira, Cavaco Silva recebe um conjunto de economistas e, na sexta-feira, ouve os representantes dos partidos com assento parlamentar.