O comissário europeu da Concorrência disse esta quarta-feira, em Bruxelas, que os planos de reestruturação da Caixa Geral de Depósitos (CGD), BPI e BCP preveem limites aos bónus e proibição de aquisições e de práticas de risco.

UE aprova planos de reestruturação da CGD, BPI e BCP

Em declarações a jornalistas portugueses, no dia em que a Comissão Europeia deu luz verde aos planos de reestruturação dos três bancos ¿ embora a do BCP só seja formalizada dentro de semanas -, Joaquin Almunia escusou-se a entrar em detalhes sobre cada um dos planos de reestruturação, já que estão «protegidos por sigilo». No entanto, adiantou que, no caso da CGD, o plano impõe a reestruturação das operações espanholas e venda do ramo de seguros, enquanto, no caso do BCP, Bruxelas decidiu não exigir a venda do banco na Polónia.

O comissário espanhol revelou ainda que os planos de reestruturação, que serão monitorizados durante a sua aplicação, vigorarão até 2017 nos casos da CGD e do BCP, enquanto Bruxelas espera que o BPI tenha o seu processo finalizado já em finais de 2015.