A CMVM confirmou as acusações feitas em 2011 e condenou João Rendeiro a uma multa de um milhão de euros.
 
De acordo com o jornal «Expresso», o supervisor do mercado confirmou as acusações feitas ao ex-presidente do BPP, bem como a ex-administradores do banco, inibidos de exercer atividade financeira por cinco anos.
 
No total, as multas ultrapassam os 2,6 milhões de euros.
 
O próprio banco foi também multado em 1,5 milhões de euros, mas o pagamento ficou suspenso, uma vez que o BPP está em processo de liquidação.
 
Em reação, Rendeiro disse ao semanário que, passados seis anos sobre os últimos factos, está tudo «prescrito ou vai prescrever a curto prazo».