O presidente do Banco Central Alemão considerou, esta quinta-feira, que os esforços de ajustamento estão a compensar em vários países da zona euro. Jens Weidmann esteve em Portugal para uma conferência organizada pelo Banco de Portugal e pela Ordem dos Economistas, que decorreu em Lisboa, onde disse que foram os programas de resgate que salvaram a Europa de uma escalada da crise financeira. 

Quanto a Portugal, o presidente do Bundesbank considera que o país tem de se preparar para o futuro, uma vez que os juros baixos não vão durar para sempre.

Jens Weidmann afirmou ainda que a solidariedade entre os países do euro pode ajudar no curto prazo um país em crise, mas rejeitou que se transfiram as responsabilidades nacionais para a comunidade europeia.


“Uma boa parcela de solidariedade com certeza ajuda um país em crise a resolver [o problema] no curto prazo. Mas, permitir que a responsabilidade orçamental nacional possa ser transferida para a comunidade de todos os Estados-Membros vai enfraquecer os incentivos para políticas orçamentais sólidas no longo prazo.”


Citando Frank Sinatra, Weidmann afirmou que “é de facto uma ilusão separar responsabilidade e controlo sem minar a estabilidade da união monetária”, sublinhando que “uma combinação de soberania nacional e de solidariedade comum pode colocar riscos à estabilidade da união monetária” europeia.