O grupo japonês Mitsubishi Materials pediu desculpas aos antigos prisioneiros de guerra norte-americanos forçados a trabalhar nas suas minas durante a II Guerra Mundial, um gesto histórico 70 anos após o conflito.

Hikaru Kimura, um dos responsáveis da empresa, endereçou no domingo “as suas desculpas cheias de remorsos” a James Murphy, de 94 anos, um dos raros prisioneiros norte-americanos forçados a trabalhar no Japão.

Murphy aceitou as desculpas “sinceras e humildes”.