A futura secretária de Estado do Tesouro, Isabel Castelo Branco, vendeu esta semana as suas ações no BPI, onde era diretora financeira, embolsando cerca de 27 mil euros com a venda.

De acordo com um comunicado enviado esta sexta-feira à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), Isabel Castelo Branco vendeu um total de 27.433 ações que tinha no banco, o equivalente a uma participação de 0,002% no capital social do BPI.

A futura governante (toma posse segunda-feira) vendeu 1.023 ações a um preço de 0,994 euros cada, e mais 26.410 ações a 0,991 euros cada. Com esta venda, a antiga diretora financeira do BPI encaixa mais de 27 mil euros e fica sem qualquer participação no banco.

Isabel Castelo Branco assume na segunda-feira a pasta da Secretaria do Tesouro quase um mês depois de o ex-secretário de Estado Joaquim Pais Jorge ter apresentado demissão do cargo, a 07 de agosto.

A nova secretária de Estado do Tesouro, cuja pasta estava a ser assegurada até à data pela ministra do Estado e das Finanças, Maria Luís Albuquerque, toma posse na segunda-feira, 2 de setembro.

Com 46 anos, cumpridos a 31 de julho, Maria Isabel Cabral de Abreu Castelo Branco é licenciada em Economia pela Universidade Nova de Lisboa e frequentou o programa de MBA da mesma instituição entre 1991 e 1992.

Iniciou a carreira como analista do BPI em 1989 e um ano depois tornou-se analista na área de Empresas Sul da mesma instituição bancária.

Entre 1991 e 1995, Isabel Castelo Branco foi analista de research na área de estudos económicos e financeiros do BPI, sendo posteriormente responsável de investimentos na área de gestão de ativos, administradora da BPI Fundos, BPI Vida e BPI Pensões, de acordo com o seu currículo.

Desde 2002 que era diretora financeira do BPI.

Além disso, em 2012 a nova secretária de Estado era membro do Comité de Riscos da OMIClear, depois de em 2011 ter sido membro não executivo do Conselho de Administração da COSEC.

A 7 de agosto, pouco mais de um mês de ter assumido a pasta de secretário de Estado do Tesouro, Joaquim Pais Jorge apresentou a demissão do cargo, na sequência da polémica que envolveu o caso swap.

Pais Jorge tinha tomado posse a 2 de julho, no mesmo dia em que Maria Luís Albuquerque, até então secretária de Estado do Tesouro, assumiu a pasta de ministra de Estado e das Finanças, em substituição de Vítor Gaspar, que se tinha demitido no dia anterior.