A taxa de desemprego em Portugal caiu uma décima em agosto face a julho, para os 16,5%, revelam dados publicados hoje pelo Eurostat. É o sexto mês consecutivo de queda. Ainda assim, a taxa continua acima do que estava há um ano, já que no mesmo mês de 2012 era de 16,2%.

O gabinete de estatísticas da União Europeia estima em 877 mil os desempregados existentes no nosso país, menos dois mil que no mês precedente e menos 8 mil que no ano anterior.

A taxa de desemprego jovem situou-se nos 36,8%, face aos 37,3% registados em julho. São 136 mil pessoas até aos 25 anos de idade que não têm trabalho, mesmo assim, menos 3 mil que no mês anterior. Em termos homólogos, a queda é de 41 mil pessoas.

O desemprego continua também a afetar mais as mulheres, entre as quais a taxa de desemprego é de 16,9%, ao passo que, entre os homens, se fica pelos 16,2%.

No conjunto da Zona Euro, a taxa de desemprego manteve-se estável nos 12% e no conjunto da UE nos 10,9%. Em ambas as regiões, as taxas continuam acima dos níveis homólogos de 2012 (11,5 na área do euro e 10,6% na UE).

Estima-se agora que existam 26,6 milhões de pessoas sem emprego na União Europeia a 27, das quais 19,18 milhões na Zona Euro.

Na comparação entre os vários Estados membros, Portugal apresenta a quinta taxa mais elevada atrás apenas da Grécia, cuja taxa atingiu 27,9% em junho (último mês com dados disponíveis), Espanha, com 26,2%, e Chipre e Croácia com 16,9% cada.

As taxas mais baixas, pelo contrário, couberam à Áustria (4,9%), Alemanha (5,2%)

e Luxemburgo (5,8%).