O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, disse esta terça-feira ter sentido «na maioria dos parceiros sociais» disponibilidade negocial para iniciar a discussão em torno da Reforma do Estado no dia 05 de junho, escreve a Lusa.

CIP: será «difícil» chegar a acordo sobre prazos de contratos coletivos

«Considero importante a disponibilidade que senti, na maioria dos parceiros sociais para nos sentarmos à mesa em certas áreas estruturais. Voltaremos a conversar muitas vezes e no próximo dia 05 começaremos o trabalho mais focado e concreto», disse.

Paulo Portas falava aos jornalistas depois de uma apresentação do guião para a Reforma do Estado em reunião de Concertação Social.

«Acreditamos firmemente no compromisso, acreditamos firmemente na negociação. Estar disponível para uma negociação significa estar disponível para chegar a resultados que não são idênticos ao da posição inicial, são fruto de um compromisso», afirmou o governante.