O aumento da fatura do IRS e a perda nas remunerações vão provocar um corte de 7,9 mil milhões de euros nos rendimentos do trabalho durante o ano corrente. É o equivalente a 792 euros por português, escreve o «Jornal de Notícias».

Os rendimentos do trabalho vão sofrer uma perda aproximada de 7,9 mil milhões em 2013, valor 68% superior ao corte de 4,7 mil milhões resultante da reforma do Estado prometida pelo Governo português à troika e cuja execução deverá prolongar-se até 2015.

Esta perda decorre da subida do IRS (pagaremos mais 2,4 mil milhões do que em 2012) e da baixa nas remunerações brutas do trabalho (reportadas pelo Instituto Nacional de Estatística nas Contas Nacionais), que dão conta de um recuo de 5,5 mil milhões de euros.