Portugal foi considerado o 19º país com melhor reputação do mundo pelo estudo promovido pelo Reputation Institute, o Country RepTrak 2013. O nosso país mantém a mesma posição do ano passado, mas consegue subir em todas as dimensões de reputação, passando a ser considerado um país com reputação «Moderada».



Uma subida que se deve especialmente aos inquiridos de fora do país. «Por exemplo, em relação à perceção sobre a eficiência governativa portuguesa, a imagem que os estrangeiros têm de Portugal é superior à dos portugueses. A imagem externa aumentou em quase todos os atributos, destacando-se o crescimento em 5 pontos percentuais sobre a perceção para fazer negócios no país», explica o estudo. Só a perceção sobre a Segurança no país desce. Aqui, os portugueses tem melhor opinião que os estrangeiros. Os portugueses por outro lado, demonstraram uma pior opinião sobre a performance governativa, atingindo níveis inferiores aos de 2011.

Sobre o desenvolvimento económico em Portugal, a imagem externa melhorou em todos os níveis, destacando-se a subida significativa nas «Marcas conhecidas» e na «Confiança da mão-de-obra». A contribuição do país para a cultura global continua a ser o atributo mais alto.

«O desenvolvimento económico tem-se caracterizado por uma diferença grande entre a perceção interna e externa. Nos últimos anos, os portugueses têm melhor imagem do seu país, do que os cidadãos de outros países. No entanto, o estudo deste ano demonstra que estes níveis desceram ligeiramente em relação a 2012, alguns deles abaixo dos níveis registados em 2011», refere.

A perceção sobre o ambiente natural e cultural em Portugal sobre ligeiramente entre os inquiridos a viver fora do país. À semelhança das outras dimensões, os portugueses diminuíram a sua perceção em relação à qualidade de vida em Portugal, mesmo assim têm uma melhor opinião que os inquiridos estrangeiros.

«A auto-avaliação dos portugueses, acabou por penalizar o país. Se nos outros anos o crescimento da imagem interna se deveu ao reconhecimento dos portugueses no esforço feito para cumprir com as medidas de austeridade impostas pelo Governo em conjunto com a troika, este ano parece que o estudo demonstra alguma desilusão, em contraste com a melhoria da imagem do País junto dos países estrangeiros», explica o partner e CEO da OnStrategy, que representa o Reputation Institute em Portugal, Pedro Tavares.

«Os próximos meses serão determinantes para se saber se Portugal tem possibilidade de subir neste ranking. A reputação de um país é fundamental em alturas de crise, uma vez que a perceção positiva pode proteger Portugal de uma recessão ainda mais grave. A verdade é que mesmo sendo um país intervencionado pela troika, Portugal possui elementos com perceções positivas nomeadamente na área económica, que podem ajudar Portugal a retomar o crescimento», alertou.

O Canadá continua a ser o país com melhor reputação no mundo, seguido da Suécia e da Suíça.

Realizado entre janeiro e março junto de um painel online, composto por 150 mil pessoas dos países do G8 (Estados Unidos, Japão, Alemanha, Reino Unido, França, Itália e Canadá), o Country RepTrak 2013 avalia a confiança, a admiração, o respeito, e a afinidade de 50 países. Estes quatro elementos incluem ainda 16 atributos. Por exemplo, na eficiência governativa são avaliados parâmetros como o ambiente favorável à concretização de negócios, se o Governo possui estruturas políticas e instituições legais desenvolvidas, se adotou políticas sociais e económicas progressivas e se está preocupado em melhorar o bem-estar da população, se o país é seguro, se opera de forma eficiente em termos de impostos e burocracia, etc..

Já na vertente do desenvolvimento económico, são avaliados aspetos como a qualidade dos produtos e serviços produzidos no país, se é tecnologicamente avançado, como é a educação e formação, se a mão-de-obra tem formação e é de confiança, etc..