A proposta de Orçamento do Estado para 2014 (OE 2014) mantém o cenário macroeconómico que resultou da oitava e nona avaliações da troika ao programa português. As previsões apontam para um crescimento de 0,8% na economia nacional, no ano que vem.

A previsão para este ano é de uma contração de 1,8%. Em 2011, a economia portuguesa contraiu-se 1,3%, e em 2012 mais 3,2%. Assim, a confirmar-se a projeção do Governo, 2014 será o ano em que Portugal regressará ao crescimento, ao fim de três anos de recessão.

Já a taxa de desemprego, não deverá ir além dos 17,7%, mesmo assim um crescimento de três décimas face à taxa esperada para o conjunto deste ano, que é de 17,4%.

O consumo privado deverá crescer 0,1% no ano que vem, depois de uma queda de 2,5% este ano, e o consumo público deverá descer 2,8%, a somar à queda de 4% prevista para 2013.

Por seu lado, o investimento deverá crescer já 1,2%, depois de ter afundado 8,5% este ano.

As exportações deverão abrandar, de um crescimento de 5,8 para 5%, e as importações deverão crescer 2,5%, acelerando face aos 0,8% deste ano.

A taxa de inflação, que deverá ser de 0,7% este ano, deverá acelerar para 1% no ano de 2014.