A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) ainda vê na Zona Euro um potencial risco para a economia mundial.

Numa conferência em Lisboa, o economista-chefe da organização, Pier Carlo Padoan, disse que a Zona Euro continua a ser «uma fonte de risco considerável», apesar de o risco sistémico estar a dimiuir.

O responsável prevê que o crescimento económico na Zona Euro regresse em 2014, registando este ano ainda crescimento negativo, apesar da recuperação em vários países, como Portugal.

Questionado sobre as dificuldades de um regresso de Portugal aos mercados e a eventualidade de um novo resgate, o economista não quis fazer comentários. Padoan limitou-se a defender que os Estados Membros da Zona Euro devem prosseguir os programas estruturais de consolidação orçamental em 2014, enquanto permitem a acção dos estabilizadores automáticos.

A prioridade política, defendeu, é o combate ao desemprego.