A ministra de Estado e das Finanças, Maria Luís Albuquerque, assegurou esta sexta-feira no parlamento que «não há questões de estabilidade financeira para ter consequências nas contas públicas» com a situação no Grupo Espírito Santo (GES).

Questionada sobre a situação no GES, mas também no Banco Espírito Santo (BES), pelos deputados do PCP e do BE, a ministra disse, por várias vezes, que «não há razões para crer que há um problema de estabilidade financeira» no país.

Depois de o deputado bloquista Pedro Filipe Soares ter pedido à ministra para garantir que «o Governo tudo tem feito para estar a par do que se passa e que o dinheiro dos contribuintes não vai ser destruído por causa do jogo dentro do GES», Maria Luís Albuquerque respondeu: «Essa é uma garantia que posso dar».

«Dentro das nossas competências temos acompanhado a situação para nos assegurarmos através do supervisor de que não há questões de estabilidade financeira para ter consequências nas contas públicas», afirmou a governante.