O primeiro-ministro do Luxemburgo, Jean-Claude Juncker, apresentou a sua demissão do Governo, depois dos socialistas, que fazem parte da coligação no poder, terem apresentado uma moção de censura.

Juncker vai reunir-se amanhã com o grão duque Henri para propor a realização de eleições antecipadas.

Na raiz desta crise está uma acusação ao primeiro-ministro e antigo presidente do Eurogrupo de ter falhado na supervisão dos serviços secretos.

Um relatório elaborado por uma comissão parlamentar responsabilizou-o de tolerar, entre 2004 e 2009, uma série de irregularidades, entre elas escutas ilegais e má gestão de fundos.

Jean-Claude Juncker estava no poder há 18 anos e era o mais antigo governante europeu em funções.