O ministro da Presidência, Luís Marques Guedes, negou esta quinta-feira, depois da reunião do Conselho de Ministros que esteja em estudo um novo aumento de impostos para compensar um eventual chumbo do Tribunal Constitucional a algumas medidas do Orçamento do Estado para este ano.

Tribunal Constitucional deverá anunciar esta 6ª feira decisão sobre OE

O ministro recusou ainda antecipar ou alimentar especulações sobre a decisão que será tomada pelo tribunal e assegurou que «não está nada em discussão dentro do Governo» sobre medidas alternativas.

«Não está nada em discussão dentro do Governo, pura e simplesmente porque o Governo não antecipa decisões que são competências do próprio tribunal, muito menos alimenta qualquer tipo de especulação relativamente ao sentido dessas decisões», afirmou o ministro da Presidência, Luís Marques Guedes, no final da reunião do Conselho de Ministros, quando questionado sobre a existência de «um plano B» do executivo em caso de 'chumbo' do Tribunal Constitucional.

Sublinhando que o Governo «aguarda» e «terá de respeitar aquilo que vier a ser a decisão do tribunal», Marques Guedes recusou falar sobre qual o timing mais vantajoso para o anúncio da decisão dos juízes do Palácio Ratton.

«Vantajoso é o país seguir em frente no caminho que tem vindo a percorrer, as pessoas percebem que começa a fazer sentido todos os sacrifícios que foram feitos e a pior coisa que nos podia acontecer era voltar para trás», declarou, insistindo que «seguir em frente é o que o país mais necessita nesta fase».