O «Financial Times» diz que Portugal «é o herói-surpresa» da retoma na Zona Euro. O jornal refere, na sua edição desta segunda-feira que o país está a conseguir dar a volta à crise, em grande parte devido ao sector do turismo e ao aumento das exportações, escreve a «Renascença».

O artigo realça que «o crescimento homólogo de 1,6% no último trimestre de 2013 superou qualquer outro membro da Zona Euro, incluindo a Alemanha».

Segundo o texto, sublinha a «Renascença», apesar do «penoso ajustamento económico» que está a ser feito no âmbito do programa de resgate internacional, os níveis recorde no crescimento das exportações e do turismo ajudaram a que o «país se tornasse o herói-surpresa da retoma na Zona Euro».

O jornal recorda, no entanto, as consequências da grave crise que Portugal tem atravessado. «As despedidas por entre lágrimas tornaram-se comuns no aeroporto da Portela, em Lisboa. Três anos de austeridade e de profunda recessão impulsionaram um êxodo, estimando-se que cerca de 200 jovens licenciados e outro tipo de emigrantes saiam diariamente do país».

O jornal sublinha ainda o que considera serem as consequências nefastas da intervenção da troika. «O duro programa de ajustamento deixou um rasto de destruição: dezenas de milhares de pequenas empresas faliram, os salários e as pensões diminuíram e as desigualdades agravaram-se», conclui.