A inspeção tibutária realizou esta terça-feira uma megaoperação em todo o país para combater a fraude na utilização de programas de faturação electrónica, da qual resultaram 108 arguidos.

Estiveram no terreno mais de 500 agentes, entre inspectores das Finanças e forças policiais.

Segundo um comunicado da Autoridade Tributária e Aduaneira, foram inspecionados 178 estabelecimentos comerciais, entre restaurantes, cabeleireiros, joalharias ou comércio a retalho.

A grande maioria estava a utilizar programas de faturação de forma ilegal.

O valor máximo das coimas pode ultrapassar os três milhões de euros.

No passado dia 24, o Governo revogou um programa de faturação, o iECR, devido aos fortes indícios de que estaria a ser utilizado de forma fraudulenta, numa versão adulterada.

A empresa em causa foi processada criminalmente, mas esta terça-feira apresentou uma providência cautelar para impedir a anulação, decidida pelo Governo, do seu programa certificado de faturação.