As exportações de bens e serviços portugueses para Angola cresceram cinco por cento no primeiro trimestre, face a 2013, ano em que cerca de nove mil empresas nacionais exportaram para território angolano.

Os números foram avançados à Lusa pela delegação da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) em Angola, perspetivando a presença de uma centena de empresas portuguesas na Feira Internacional de Luanda (FILDA) 2014, que decorre entre 22 e 27 de julho.

«Continuamos a registar com grande satisfação o interesse que a FILDA desperta junto das empresas portuguesas», sublinhou a mesma fonte da AICEP.

Apesar das várias feiras temáticas realizadas em Angola, para as quais têm sido desenvolvidas «abordagens setoriais», a AICEP admite que a FILDA «continua a ser uma boa plataforma transversal», não só para as empresas que estão a abordar o mercado, como para as pretendem «aprofundar a sua presença» no mercado angolano.

«Este aprofundamento passa muitas vezes pelo estabelecimento de parcerias locais e de unidades produtivas em Angola, uma etapa natural do processo de internacionalização que, a par das exportações, a AICEP em Angola apoia e acompanha», destaca a agência, questionada pela Lusa.

As cem empresas portuguesas representadas na FILDA 2014 contam com um pavilhão próprio no recinto da FIL (Feira Internacional de Luanda), distribuído por uma área de 3.000 metros quadrados de exposição, o que evidencia o relevo do mercado angolano, o primeiro destino de exportação das marcas nacionais fora da Europa.

As exportações portuguesas de bens e serviços para Angola atingiram em 2013 os 4,5 mil milhões de euros, o equivalente a cerca de 6,5% do volume total de exportações portuguesas. Além disso, Angola é também o quarto cliente em termos de exportações de bens (3,1 mil milhões de euros) e o quinto quando contabilizadas as exportações totais.

Ainda de acordo com dados da AICEP, Portugal foi o primeiro fornecedor de Angola em 2013, através de 9.000 empresas nacionais exportadoras, volume que continua a aumentar. Só no primeiro trimestre de 2014, as exportações portuguesas de bens em concreto aumentaram cerca de 9% face a igual período do ano anterior. Globalmente, nos mesmos períodos, as exportações aumentaram 5%.

De acordo com dados da AICEP, as empresas portuguesas representadas na FILDA 2014 representam vários setores da economia nacional, desde a metalúrgica ao papel e aos vinhos, passando por equipamentos de proteção, bicicletas, novas tecnologias ou agropecuárias, entre outros, noticia a Lusa.