O ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional, disse hoje que só uma «pequena parte» dos cerca de mil milhões de euros disponíveis no próximo quadro europeu para infraestruturas de transporte é que serão aplicados em estradas.

«Estradas e estritamente relacionadas com a competitividade e internacionalização, como acessos a parques industriais», disse Miguel Poiares Maduro, em Penacova, à margem da inauguração das obras de requalificação de uma estrada municipal.

«No âmbito de 25 mil milhões de euros [o valor estimado do próximo quadro comunitário de apoio] a prioridade, seguramente, em termos de distribuição de fundos não é infraestruturas, não é betão», sustentou.

No entanto, o governante disse que o acordo com a União Europeia pressupõe, ainda, algum investimento em infraestruturas, como a ferrovia, escolas e outras e que Portugal «não vai passar do oito ao 80», de uma lógica de «apostar tudo em betão e infraestruturas, passar a não apostar nada nessas áreas».

«Mas não são essas as prioridades. E o país todo tem de se mobilizar por detrás daquela que é a nossa grande prioridade: transformar a nossa economia para termos uma economia competitiva», defendeu.

Questionado pela agência Lusa sobre quando abrirá ao tráfego automóvel o nó de Soure na autoestrada do Norte, entre Pombal e Condeixa-a-Nova, pronto há cerca de sete meses, Poiares Maduro remeteu a questão para a secretaria de Estado dos Transportes.

«Essa não é uma matéria que é da minha tutela, terá de perguntar ao secretário de Estado dos Transportes. Como é óbvio, não conheço esse tipo de detalhes, não vou responder a uma matéria que desconheço», afirmou, como cita a Lusa.