O Banco de Portugal e a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) vão avançar com uma auditoria conjunta sobre as atividades desenvolvidas pelo BES e outra entidade do grupo, segundo um documento confidencial a que a Lusa teve acesso.

«Está prevista uma colaboração entre a CMVM e o Banco de Portugal na definição de uma auditoria a solicitar às atividades desenvolvidas pelo BES [Banco Espírito Santo] e por uma outra entidade do mesmo grupo», lê-se no documento.

Esta informação consta da resposta por escrito da entidade liderada por Carlos Tavares a um pedido de informações da Comissão de Orçamento, Finanças e Administração Pública (COFAP), na qual o líder da CMVM foi hoje ouvido devido à situação no Grupo Espírito Santo (GES), do qual o BES é o principal ativo.

Logo no início dos trabalhos, o presidente da CMVM entregou aos deputados dos vários grupos parlamentares alguma documentação, pedindo que a mesma ficasse reservada, dado conter dados sensíveis.

No final da audição de Carlos Tavares, a agência Lusa teve acesso ao documento, que revela que está a ser preparada uma auditoria conjunta sobre a atividade do BES, a par de outra instituição do GES, que não está identificada.

Esta matéria não foi tratada verbalmente durante a audição de Carlos Tavares na comissão, até porque a mesma foi pública, e não existem, para já, mais detalhes disponíveis.