A banca a operar em Portugal concedeu empréstimos no valor de 4,28 mil milhões de euros em agosto deste ano, a empresas e famílias. O valor representa uma queda face aos mais de 5 mil milhões emprestados em julho, mas fica ainda 1.100 milhões de euros, ou 34% acima, do valor emprestado em agosto do ano passado.

De acordo com dados publicados esta terça-feira pelo Banco de Portugal, apenas 11% do crédito concedido se destina às famílias. Em agosto foram 479 milhões de euros, menos 73 milhões que no mês anterior e menos 31 que no mês homólogo.

A queda foi comum a todos os destinos de financiamento (habitação, consumo e outros fins), tendo a redução mais acentuada sido verificada no financiamento para outros fins (menos 26% face a julho e menos 25,5% face ao homólogo, para 137 milhões de euros).



O crédito ao consumo absorveu 173 milhões de euros, menos 4% face a julho mas mais 4,8% em termos homólogos.

A habitação, por seu lado, recebeu 169 milhões, menos 8,6% em termos mensais e mais 5% em termos homólogos.



As empresas, que absorveram 89% do crédito concedido, o equivalente a 3,8 mil milhões. Mesmo assim, o valor representa uma queda de 15,8% face ao mês anterior. Na comparação homóloga, no entanto, nota-se já um crescimento de 1,2 mil milhões.



Da fatia destinada às empresas, foram as de maior dimensão que «comeram» a maior parte: 2,4 mil milhões de euros, menos 17% face a julho. As Pequenas e Médias Empresas (PME), por seu lado, também conseguiram menos 13% de financiamento.