O valor médio de avaliação bancária em Portugal continuou a diminuir em janeiro, para 1.010 euros o metro quadrado (m2), menos 0,4% do que no mês anterior e 0,2% acima de janeiro de 2013.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), nas áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto o valor médio de avaliação situou-se, respetivamente, em 1.214 euros/m2 e em 932 euros/m2 (1.219 euros/m2 e 935 euros/m2 no mês anterior).

O instituto estatístico nota que a contração do valor médio de avaliação da habitação de 1.014 euros em dezembro para 1.010 euros em janeiro resultou sobretudo da diminuição de 0,7% registada no valor médio dos apartamentos.

Numa análise por regiões NUTS II, registaram-se diminuições em cadeia na maioria das zonas, com destaque para a redução de 5,2% no Algarve, enquanto as regiões Norte, Alentejo e Madeira registaram aumentos de 0,6%, de 1,5% e de 1,2%, respetivamente.

Quando comparado com o período homólogo, o valor médio de avaliação no total do país aumentou 0,2% em janeiro (variação de -0,5% em dezembro), sobretudo pela variação observada na região de Lisboa (1,8%) que, conjuntamente com a região Norte (0,1%), foram as únicas regiões a apresentarem aumento.

Segundo o INE, os valores médios de avaliação por m2 destas regiões situaram-se, em janeiro, em 1.214 euros e 886 euros, pela mesma ordem.

Por tipologia de habitação, nos apartamentos o valor médio de avaliação bancária situou-se em 1.042 euros/m2, menos sete euros (-0,7%) do que no mês anterior, tendo A região do Algarve registou a redução mais intensa (-4,9%) para 1.231 /m2.

Face a janeiro de 2013, o valor médio de avaliação bancária dos apartamentos no total do país aumentou 0,5%, destacando-se os Açores pelo aumento de maior intensidade, 4,1%, para um valor médio de avaliação de 1.198 euros/m2.

Para as tipologias de apartamentos T2 e T3, para o total do país, o valor médio de avaliação foi de 1.029 euros/m2 e 1.000 euros/m2, respetivamente.

Face ao mês anterior, verificou-se uma diminuição de três euros/m2 (-0,3%) na tipologia T2, enquanto na T3 o valor médio aumentou cinco euros/m2 (0,1%).

Nas moradias, o valor médio de avaliação bancária para o total do país situou-se em janeiro nos 952 euros/m2, mais um euro/m2 (0,1%) do que em dezembro,

Em termos homólogos, o valor médio de avaliação das moradias diminuiu 0,8% em janeiro (-2,4% no mês anterior), tendo as de tipologia T3 e T4 registado, para o total do país, valores médios de avaliação de 947 euros/m2 e de 956 euros/m2 (aumentos face ao mês anterior de 19 euros/m2 e de 5 euros/m2, respetivamente).

De acordo com o INE, por comparação com novembro e face à média do país, a análise dos índices do valor médio de avaliação bancária de habitação por NUTS III, mostrou decréscimos, relativamente ao mês anterior, em 13 das 30 regiões analisadas.

A região de Pinhal Interior Sul destacou-se por ter apresentado a diminuição mais acentuada (-11,8%), enquanto na região de Alto Trás-os-Montes observou-se o maior aumento, de 7,0%.

Nas áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto, cujos valores médios de avaliação recuaram face a dezembro 0,4% e 0,3%, respetivamente, para 1.214 euros/m2 e 932 euros/m2, os apartamentos e moradias registaram na capital avaliações superiores à média do país em cerca de 16% e 30%, enquanto no Porto as moradias foram avaliadas 4% acima e os apartamentos 13% abaixo.