Portugal captou até março 1,9 mil milhões de euros de investimento através da atribuição de vistos gold a cidadãos de nacionalidade chinesa, de acordo com dados do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) disponibilizados à Lusa.

O investimento acumulado da China, no âmbito da Autorização de Residência para a atividade de Investimento (ARI), desde que o programa foi lançado até final de março último, totalizou 1.914.328.290,83 euros, segundo as contas feitas pela Lusa com base nos dados do SEF.

A China é o país que lidera a concessão de vistos gold, tendo Portugal atribuído 3.326 ARI até final de março.

Em 2013, o primeiro ano efetivo do programa dos vistos dourados (que tinha sido lançado em 08 de outubro de 2012), a China investiu 229 milhões de euros, mas o pico aconteceu um ano depois, quando este ascendeu a mais de 710 milhões de euros (1.235 ARI atribuídas).

Em 2015, o investimento chinês diminuiu para 327 milhões de euros (573 vistos atribuídos], registando uma recuperação no ano passado, para perto dos 490 milhões de euros (848 vistos).

Nos primeiros três meses deste ano, segundo os dados do SEF, o investimento é de 159.233.593,73 euros, com 276 ARI atribuídas.

O Brasil, que é a segunda nacionalidade com maior número de vistos atribuídos, totalizava - desde que o programa foi lançado até março - um investimento de 335.563768,25 euros, com 403 ARI concedidas.

O melhor ano de investimento captado do Brasil foi 2016, altura em que foram atribuídos 142 vistos gold, totalizando 117.795.095,93 euros. Mas no primeiro trimestre deste ano, o Brasil já investiu 127 milhões de euros, um montante superior ao registado em todo o ano de 2016.

Em abril, o investimento resultante da ARI totalizou 78.069.068 euros, uma descida de 5% face ao mesmo mês de 2016 (82.413.310,20 euros) e de 59% relativamente a março, altura em que o montante arrecadado atingiu 192.493.840,26 euros.

Em termos acumulados - desde que os 'vistos dourados' começaram a ser atribuídos, em 08 de outubro de 2012, até abril último -, o investimento total captado com as ARI atingiu 3.078.503.175,62 euros. Deste total, 2.772.806.471,60 euros foram captados por via da compra de bens imóveis e 305.696.704,02 euros através da transferência de capital.

Desde a criação deste instrumento, que visa a captação de investimento, foram atribuídos 5.003 ARI: dois em 2012, 494 em 2013, 1.526 em 2014, 766 em 2015, 1.414 em 2016 e 801 este ano.

A China lidera a lista de ARI atribuídas (3.376 até abril), seguida do Brasil (403), África do Sul (180), Rússia (173) e Líbano (99).