O primeiro-ministro, António Costa, e o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, assinam hoje os termos de aceitação para a intervenção que encoraja a compra de mais autocarros a gás natural comprimido e elétricos, bem como os respetivos postos de abastecimento.

Mais de 500 autocarros que usam energia limpa vão substituir outros tantos com motores de combustão poluentes nos transportes públicos urbanos, projetos que vão custar 145 milhões de euros, segundo o Ministério do Ambiente.

As entidades que adiram aos "autocarros limpos" terão 46,2 milhões de euros através do Fundo de Coesão.

No total, serão comprados 510 autocarros, 438 a gás natural e 72 elétricos, e instalados 31 pontos de carregamento elétrico e quatro postos de gás natural.

Com os novos veículos a trabalhar, estima-se que serão poupados 8,6 milhões de litros de gasóleo anualmente.