​A filial suíça do HSBC está a ser alvo de buscas esta quarta-feira, avança a imprensa internacional. Os procuradores em Genebra anunciaram a uma investigação a atos de alegada lavagem de dinheiro ( «branqueamento de capitais agravado») através do banco privado.

A investigação surge na sequência de informações de que o banco terá «fechado os olhos» a atividades ilegais de traficantes de armamento e de diamantes, o mesmo tempo que ajudou vários clientes ricos a fugir ao Fisco.

Os meios de comunicação do mundo inteiro noticiaram uma  investigação do Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ), batizada SwissLeaks, realizada na base de ficheiros do banco na Suíça, roubados em 2007 por um dos seus antigos empregados, o informático franco-italiano Hervé Falciani.

Estes ficheiros contêm  informações sobre mais de cem mil clientes e mostram como o maior estabelecimento bancário europeu ajudou alguns daqueles a esconder milhares de milhões de dólares para evitarem pagar impostos. 

O HSBC colocou anúncios de página inteira em jornais britânicos para se desculpar sobre alegações de que ajudou clientes na Suíça a fugir ao fisco em milhões de euros

O anúncio, colocado no «Sunday Times», «Sunday Telegraph», «Mail» e «Sun», republica uma carta dirigida pelo presidente executivo Stuart Gulliver para os clientes do banco e funcionários na sexta-feira, no qual insiste que o banco suíço tinha sido «completamente reorganizado»