A Bolsa de Lisboa avança 2,21%, e lidera os ganhos nas praças europeias positivas, espelhando o alívio dos investidores num dia em que, após meses de negociações e impasses, foi confirmado um acordo entre a Grécia e os credores da zona euro, afastando o perigo do país sair da moeda única.

Os líderes da zona euro chegaram a acordo unânime após uma cimeira de 17 horas em Bruxelas para avançar com um resgate financeiro à Grécia, lembra a Reuters.

Esse empréstimo, o terceiro concedido a Atenas, é estimado em até 86.000 milhões euros (ME), inclui 25.000 ME para recapitalizar os bancos gregos.

Após uma insistência alemã, a Grécia vai colocar ativos com um valor total até 50.000 ME num fundo para serem privatizados com as receitas dessas vendas a serem utilizadas para amortizar dívida.

"A cimeira Euro chegou unanimemente a acordo. Tudo pronto para acordo com o programa do Mecanismo Europeu de Estabilidade (ESM), para a Grécia, com sérias reformas e apoio financeiro," disse o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk.


Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia, disse "não haverá Grexit e estamos satisfeitos com o resultado que encontrámos," alertando, contudo, que o parlamento grego, e outros parlamentos nacionais, têm que aprovar o plano.

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras frisou que o país conseguiu a reestruturação da dívida, e que apesar da implementação das reformas ser um desafio, o acordo deverá permitir o crescimento económico.

Tsipras terá de rapidamente passar as reformas no parlamento, enquanto o Eurogrupo começa já a discutir um empréstimo intermédio para a Grécia lidar com os seus problemas de liquidez imediatos, que incluem um pagamento ao BCE daqui a uma semana.

"Com o anúncio de um acordo (com a Grécia), o mercado europeu acabou por abrir bastante positivo e assim tem estado”, disse Gualter Pacheco, trader da Go Bulling.

"Agora vão-se sabendo mais desenvolvimentos, e os mercados estão fortes", referiu.


O FTSEurofirst 300, índice que agrega as 300 maiores cotadas da Europa, sobe 1,44%, com os ganhos nas praças europeias a oscilarem entre os 0,72 pct em Londres e os 2,29% em Lisboa

No mercado secundário de dívida, sente-se também alívio após o anúncio do acordo, com a 'yield' das obrigações grega a 10 anos a afundarem 174 pontos base (pb) para 12%, enquanto a equivalente portuguesa recua 7 pb para 2,81%.

O euro deprecia-se 0,81% face à moeda norte-americana para os 1,1073 dólares, castigado por incertezas quanto à solidez da posição helénica, apesar de evitada a saída da zona euro.

No mercado petrolífero, o preço do barril de Brent, em Londres, perde 1,89% para 57,62 dólares e o de crude Nymex cai 2,12% para 51,61 dólares, espelhando o aproximar de um acordo nuclear entre o Irão e seis potências mundiais, o que poderá levantar as sanções e permitir a entrada de mais petróleo iraniano nos mercados mundiais.