Mais de uma centena de trabalhadores da Soares da Costa entrou esta terça-feira na sede da empresa, em Lisboa, exigindo ser recebida pela administração. Os funcionários querem resolver a situação dos salários em atraso.

"Está na hora, está na hora do salário cá para fora"  

"Assim não pode ser, trabalhar sem receber"

Estas são algumas das frases gritadas pelos trabalhadores que se encontram no exterior do edifício.

Antesw, os trabalhadores da Soares da Costa marcharam em protesto junto ao ministério do Emprego, acompanhados pelo secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos.

Entretanto, elementos da PSP chegaram ao local.

No final de junho, várias dezenas de funcionários da Soares da Costa se tinham concentrado à porta do Ministério do Trabalho.

Foi em dezembro de 2015 que a empresa anunciou um despedimento coletivo que seria executado até abril deste ano, mas até agora nada aconteceu. Mais de 300 pessoas estão em inatividade e queixam-se de estar sem salários há oito meses.

Algumas delas regressaram de Angola. Indignados e em situação cada vez pior, os trabalhadores não compreendem porque é que a empresa não passa os documentos para o acesso ao subsídio de desemprego.