A guerra de palavras nas últimas horas entre os governantes da Grécia e da Alemanha levaram o presidente da Comissão Europeia a vir a público tentar suavizar os ânimos.

Jean-Claude Juncker disse em conferência de imprensa, em Bruxelas, que o povo grego tem de ser respeitado e que os credores não fizeram qualquer ultimato à Grécia. O presidente da Comissão Europeia reafirmou ainda que sábado será um dia crucial para Atenas e para a Zona Euro e mostrou-se "razoavelmente otimista, mas não demasiado otimista" em relação a um acordo final com as autoridades gregas.

Sábado é o dia da reunião do Eurogrupo. O encontro entre os ministros das finanças da Zona Euro estava agendada para as 17 horas, mas foi antecipada para as 14 horas em Bruxelas, 13 horas em Lisboa.

Mas "ainda faltam três dias" , realçou Donald Tusk, o presidente do Conselho Europeu, no mesmo encontro com os jornalistas e o presidente da Comissão Europeia. Tusk disse que está muito perto "o dia em que o jogo acaba". Se não houver acordo, a Grécia não deverá receber a última fatia do empréstimo, no valor de 7,2 mil milhões de euros. O programa de assistência termina na terça feira, sem o empréstimo a Grécia pode entrar em bancarrota .