Poul Thomsen, o responsável do Fundo Monetário Internacional do programa da Grécia, sublinhou esta sexta-feira que a instituição não vê grandes desenvolvimentos nas negociações gregas. E garantiu que não haverá qualquer financiamento para a Grécia até que a avaliação esteja completa.
 
Apesar de considerar positivo o facto de o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, se ter envolvido mais nas negociações com os credores internacionais, thomsen nota alguns obstáculos ao progresso das reuniões, nomeadamente a falta de acesso a dados pedidos pelos credores, e diferenças de opinião quanto a questões laborais, pensões, reforma fiscal para 2015 e reforma administrativa.
 

O responsável diz que o FMI será “flexível” quanto a acordar uma revisão em baixa do excedente orçamental primário, que era de 3%, mas não especificou a alternativa.