“Há duas ou três questões muito específicas em aberto, como viram na parte final, são três das 50 medidas que foram acordadas” adiantou o responsável em entrevista à Mega TV.

Essas questões, segundo Stathakis, incluem o alívio da dívida a longo prazo e isenções ao IVA nas ilhas gregas, uma questão bastante sensível para o partido Gregos Independentes, que faz parte da coligação de governo com o Syriza.

Na entrevista à televisão grega, o governante sublinhou que está confiante num acordo na cimeira de líderes da União Europeia marcada para esta quinta-feira e que a solução vai ser apoiada pela ala mais à esquerda do Syriza.

“Creio que este acordo é aceitável para o Syriza e para a sociedade grega”.

Recorde-se que acordo da Grécia com os credores europeus pode ser chumbado pelo Parlamento do país. Alexis Tsipras quer um voto de confiança da maioria que suporta o Governo no Parlamento, mas enfrenta críticas dentro do próprio Syriza. 

O primeiro-ministro grego vai a Bruxelas esta quarta-feira para uma reunião com os líderes das instituições da antiga troika: o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, a diretora do FMI, Christine Lagarde, e o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi. 

  

Em cima da mesa estarão as propostas que o governo grego apresentou na segunda-feira, que parecem ter agradado aos credores, e que também serão apreciadas no Eurogrupo que arrancará às 18:00 desta quarta-feira, hora de Lisboa.