Afinal, a Grécia vai submeter esta quinta-feira um pedido à zona euro para que seja estendido o empréstimo por mais seis meses. A informação foi avançada à SkyNews pelo porta-voz do governo helénico, Gabriel Sakkelarides.

A Reuters tinha avançado esta quarta-feira que o pedido iria ser submetido ainda hoje.

A Comissão Europeia aguarda uma proposta escrita de Atenas antes de se pronunciar sobre uma eventual prorrogação do programa de ajustamento, anunciou esta quarta-feira, em Bruxelas, o comissário europeu para o Euro, Valdis Dombrovskis.
​ 
O objetivo é de ganhar tempo e evitar a austeridade plasmada no programa de resgate. Ainda assim, a Alemanha já veio dizer que essa oferta não está em cima da mesa e que Atenas deve cumprir os termos do acordo existente no âmbito do programa de resgate. 

«Temos que ver por escrito a proposta do Governo grego, só depois poderemos comentar» o seu conteúdo, disse, em conferência de imprensa, o comissário, salientando que a decisão cabe, não à Comissão Juncker, mas ao Eurogrupo.

«Temos que ver exatamente o texto, para ver exatamente o que diz», reiterou, lembrando que o atual programa ajustamento contém fundos a transferir ainda para a Grécia, mas Atenas terá que pedir a sua extensão e «concordar com a sua revisão».

Ao executivo de Alexis Tsipras, o comissário deixou a mensagem de que «não deve adotar medidas unilaterais», numa alusão à votação prevista para sexta-feira, pelo Parlamento grego de um pacote legislativo de medidas sociais.
Dombrovskis disse ainda que cabe ao presidente do Eurogrupo, Joeren Dijsselbloem, decidir sobre a convocação de uma nova reunião do fórum dos ministros das Finanças da zona euro, salientando não haver qualquer divisão entre este e a Comissão Europeia sobre a questão grega.

«Tudo vai depender do conteúdo do que vai ser apresentado e compete ao presidente do Eurogrupo decidir se convoca uma nova reunião», referiu, acrescentando que se mantém a «abordagem do Eurogrupo: prolongamento do programa atual, oferecendo alguma flexibilidade, que pode passar pela substituição de algumas medidas por outras de igual valor orçamental».

Repetindo a posição de Bruxelas sobre a questão, de que a extensão do atual programa de resgate da troika é a melhore solução de curto prazo pois permite negociar a longo prazo, Dombrovskis lembrou que «a situação da Grécia não está a melhorar».

Aliás, também o Banco Central Europeu está a encontrar resistência por parte da Alemanha para permitir qualquer empréstimo urgente extra aos bancos gregos. A resistência alemã aumenta a pressão sobre o  governo grego que não aceita assinar um acordo que permita um prolongamento do atual programa de resgate, que termina a 28 de fevereiro. 

A reunião do Banco Central Europeu está agendada para esta quarta-feira. 

Depois na  segunda-feira, as negociações entre Atenas e a zona euro terem terminado sem acordo o Banco Central Europeu avalia esta quarta-feira  até que ponto a Grécia consegue suportar a fragilidade dos bancos gregos, que enfrentam já o risco de uma fuga de depósitos.