O governo grego assegurou esta segunda-feira que vai pagar os 750 milhões de euros relativos a uma tranche de reembolso de ajuda ao Fundo Monetário Internacional, haja ou não acordo.

“Atenas quer e vai pagar ao FMI”, anunciou o ministro das Finanças grego, citado pela imprensa grega.


Varoufakis, citado pela Bloomberg, disse ainda que espera “uma boa reunião” esta segunda-feira com o Eurogrupo.

O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, ouvia o homólogo grego e deixou o desafio, dizendo aos jornalistas que se a Grécia quer, deveria fazer um referendo.

"Se o governo grego acha que deve fazer um referendo, então deve fazê-lo. Talvez seja a medida acertada para deixar o povo grego decidir sobre está disposto a aceitar as condições ou se quer outro caminho".

Varoufakis e Schäuble encontraram-se para uma reunião à margem do Eurogrupo, marcado para esta segunda-feira, mas as expetativas de um acordo são quase nulas. Até o ministro das Finanças grego já admitiu que está confiante, num acordo, "nos próximos dias".

Portugal estará representado na reunião do Eurogrupo pela ministra Maria Luís Albuquerque.

 

Impasse atrasa ajuda financeira ao país


Para ser ultrapassado o impasse, que tem atrasado a transferência para os cofres gregos de uma parcela de 7,2 mil milhões de euros do empréstimo concedido em 2012, é necessário ainda avanços em várias matérias, como pensões e mercado laboral, sendo que as partes ainda divergem nas negociações técnicas, pelo que nem deverá haver uma discussão aprofundada ao nível político.