A taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) foi de 1,0% em maio, 0,6 pontos percentuais acima dos 0,4% apurados em abril, confirmou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

A aceleração do IPC reflete a dissipação do efeito de base associado ao calendário da Páscoa em 2017 […] e também a evolução recente dos preços dos combustíveis”, explica o INE, recordando que, “com arredondamento a uma casa decimal, esta taxa coincide com o valor da estimativa rápida divulgada a 30 de maio”.

Em maio, a variação homóloga do indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) foi de 0,6%, situando-se 0,4 pontos percentuais acima do registado em abril.

A variação mensal do IPC foi, por sua vez, de 0,4% (0,7% em abril e -0,2% em maio de 2017) e a variação média dos últimos 12 meses foi de 1,0% (que compara com os 1,1% registados no mês precedente).

O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma variação homóloga de 1,4%, taxa superior em 1,1 pontos percentuais à do mês anterior e inferior em 0,5 pontos percentuais à estimativa do Eurostat para a área do euro (em abril, esta diferença foi de 0,9 pontos percentuais).

O IHPC registou uma variação mensal de 0,8% (1,0% no mês anterior e -0,3% em maio de 2017) e uma variação média dos últimos doze meses de 1,2% (valor idêntico ao registado em abril).