O índice de volume de negócios nos serviços recuou 2,3% em Junho, penalizado pela contração no comércio e reparação de automóveis e motociclos, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística.

No segundo trimestre, este índice recuou 0,9%, contra a contração de 1,5% nos primeiros três meses do ano.

O INE adianta que a procura interna no geral e a compra de automóveis em particular recuperaram significativamente à medida que, em meados de 2013, Portugal saiu da mais grave recessão em 30 anos.

Em maio, os dados do INE mostravam que as vendas de automóveis ligeiros de passageiros tiveram uma subida homóloga de 47,2% até abril, mantendo o perfil ascendente observado desde março de 2012.

Apesar da redução no volume de negócios o índice de emprego nos serviços subiu 0,3% em junho, face à variação nula em Maio, e o índice de remunerações efetivamente pagas cresceu 2,3%.

O volume de trabalho, medido pelo número de horas trabalhadas, aumentou 0,5% em termos homólogos, de 0,4% em maio.