O Índice de Preços no Consumidor em Portugal teve uma subida mensal ligeiramente acima do esperado de 0,3 % em outubro de 2014, com a introdução de novas coleções nas classes de vestuário e calçado, de acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística.

«A classe com maior contributo positivo para a taxa de variação mensal do índice total foi a do Vestuário e calçado», referiu o INE.

Adiantou que «o contributo negativo mais expressivo para a taxa de variação mensal do índice total foi o da classe dos Transportes».

O INE adiantou que a inflação homóloga se fixou em 0,0% e a média anual em -0,2%.

Explicou que «as classes com contribuições positivas para a variação homóloga do IPC salienta-se a da Habitação, água, eletricidade, gás e outros influenciada em grande medida pelo sub-subgrupo das Rendas efetivas pagas por inquilinos de residências principais».

Por outro lado, «a maior contribuição negativa para a variação homóloga do IPC foi a do Vestuário e calçado, seguida da classe dos Transportes».

Excluindo a energia e os bens alimentares não transformados, a taxa de variação homóloga da inflação foi de 0,2% em outubro versus 0,1% no mês anterior.

A média de estimativas de quatro economistas apontava para uma variação mensal de 0,2%, uma variação homóloga de -0,1% e a média anual em -0,3%.