O clima económico em Portugal melhorou em julho de 2016 mesmo perante a incerteza sobre se o país seria sancionado pela Comissão Europeia (CE) no âmbito do procedimento por défice excessivo entre 2013 e 2015 e rescaldo no Brexit, que ditará a saída do Reino Unido da União Europeia.

O indicador de clima económico cresceu para 1,3 no corrente mês versus 1,2 no mês anterior, embora abaixo dos 1,4 de julho de 2015.

O indicador de clima económico aumentou em julho, tendo estabilizado no mês anterior. No mês de referência, os indicadores de confiança aumentaram na Indústria Transformadora, na Construção e Obras Públicas e no Comércio, tendo diminuído nos Serviços", refere o comunicado dos dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística.

Mas a confiança dos consumidores piorou pelo segundo mês seguido, com o indicador de a situar-se em -13 pontos, face a -12,6 pontos de junho e julho de 2015.

O indicador de confiança dos Consumidores diminuiu em junho e julho, após ter aumentado em maio", adiantou o INE.

Ontem, a Comissão Europeia propôs cancelar as sanções a Portugal e Espanha por ultrapassarem os limites do défice, dando a Madrid mais dois anos e a Lisboa mais um ano para executar as reduções exigidas.