O indicador de clima económico em Portugal aumentou em agosto para o valor mais elevado desde julho de 2008 e o indicador de atividade económica desacelerou em julho, divulgou esta quarta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo a síntese económica de conjuntura de agosto divulgada hoje pelo INE, escreve a Lusa, o indicador de clima económico aumentou de 0,5% em julho para 0,6% em agosto, recuperando de «forma ténue» e «atingindo o valor mais elevado desde julho de 2008».

O indicador de atividade económica, por sua vez, desacelerou em julho (de 3,3% para 3,1%). Os indicadores de curto prazo revelam, segundo o INE, «uma evolução menos negativa da atividade económica na indústria e na construção e uma redução mais intensa nos serviços».

As exportações e as importações apresentaram variações homólogas de 1,5% e 4,9% em julho (-0,5% e 1,7% no mês anterior), respetivamente, indica o INE.

Já o indicador quantitativo do consumo privado apresentou um crescimento homólogo mais expressivo em julho (3% contra 2,7% em junho), mantendo a tendência de subida que se verifica desde março.

Em julho, o indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) «desacelerou ligeiramente, em resultado do contributo positivo menos acentuado das componentes de material de transporte e de máquinas e equipamentos».

O Índice de Preços no Consumidor (IPC) apresentou uma variação homóloga mensal de -0,4% em agosto (-0,9% em julho).